26 de março de 2017

VERDADES  E  MENTIRAS  DA  BOLSA

Nesta edição:

©Jayme Ghitnick
2001 a 2017

Volume 16  Edição  775

O  BALANÇO  DA  PETROBRÁS

Pistas para o futuro

O Relatório da Administração da Petrobrás, que faz parte do balanço anual, é um documento precioso para explicar a situação da empresa.

Além de sacrificada por várias administrações no que tange à política de preços internos dos derivados,  servindo de muleta demagógica a tentativas de controlar a inflação, a companhia foi vítima de uma organização criminosa,  integrada por políticos,  empresários e funcionários,  que desviou imensos recursos via sobrepreço em bens e serviços adquiridos,  através de transações descaradamente forjadas,  bem debaixo das vistas dos órgãos de controle da própria companhia,  seu Conselho de Administração, seu Conselho Fiscal, sua Diretoria,  seus auditores independentes e outros organismos externos de fiscalização.   Bilhões foram desviados e ninguém estranhou nem deu pela falta...

Contingenciada por essa tempestade,  pela fraqueza da economia nacional e mundial e, mais recentemente,  pela queda no preço do petróleo,  aparentemente manipulada pela OPEP, as novas administrações da Petrobrás preocuparam-se em executar uma política de emergência,  diminuindo o ritmo das atividades operacionais,  tentando reduzir

custos e despesas,  movimentando o patrimônio visando aumentar a liquidez e reduzir a gigantesca dívida acumulada pela organização criminosa,  tudo isso enquanto procurava manter a produção.

Foi aprovado um novo Plano de Negócios,  com objetivos bem mais modestos,  com investimentos e metas menores, tentando  recuperar parte de sua saúde econômica e financeira.

Nesse contexto complicado e grave,  julgou-se necessário registrar ajustes importantes ao valor dos ativos e passivos,  não só pela desvalorização trazida pelo mercado declinante do petróleo aos equipamentos e outros bens,  como para registrar alguns dos efeitos reconhecidos da roubalheira e fazer provisões para algo que ainda venha a ser descoberto.

Dai a enorme diferença entre o EBITDA ajustado dos últimos anos,  gradualmente positivo, e o lucro líquido consolidado no mesmo período, gradualmente negativo, 
como mostram os gráficos do Relatório,  que fiz questão de reproduzir.

Este é o aspecto central da atual situação da companhia,    dando pistas para o que possa acontecer no futuro imediato. 
              (continua na página 2)